Experiências

Experiências

O que é o Guia

As experiências de outras cidades e estados podem servir de inspiração e apoio para o desenvolvimento de novas políticas de educação integral. Conheça aspectos que se destacaram em trabalhos pelo país. Conte você também a sua experiência.

rio-tempos

Novos tempos escolares no Rio de Janeiro

Rio de Janeiro (RJ)2009 / 2012Proposta Curricular

A secretaria passou a fazer concursos para professores, com a carga horária de 40 horas, a fim de fixar os docentes na escola, oportunizando mais tempo para o processo de ensino-aprendizagem, maior interação com os alunos e com as famílias e mais tempo para a formação continuada e a convivência com os colegas. Desta forma, o novo perfil de educador, exigido pela educação integral, vai sendo constituído, na prática, no próprio processo de constituição da escola de educação integral, ao se mudarem as condições concretas para sua existência.

Veja mais no documento Percursos da Educação Integral

pirai2

Mudança na lógica de tempo de aulas

Piraí (RJ)2009 / 2012Proposta Curricular

A secretaria reviu a lógica de 50min de aula nas classes de 5º ao 9º ano, que passaram a ter 2 horas de aula antes e depois do recreio. Essa mudança permitiu que os alunos entrassem em outro ritmo de aprendizagem, que os professores tivessem mais tempo para trabalhar os conteúdos e atender mais os alunos, individualmente, além de propiciar uma nova organização que permite a participação dos professores no “Tempo de Estudo”, destinado à troca entre os docentes, à formação continuada e ao planejamento.

Veja mais no documento Percursos da Educação Integral

Já participou de alguma proposta de educação integral?
Conte sua história e ajude outros gestores.

mesquita2

Parcerias para diversificação da proposta curricular

Mesquita (RJ)2009 / 2012Proposta Curricular

Com a necessidade de ampliar os espaços para realizar as atividades diversificadas do currículo da escola de educação integral, a secretaria de educação estimulou o estabelecimento de parcerias, pelas escolas, com organizações do território, tanto públicas como não governamentais (associações de moradores, praças, fundações, clubes etc.), assim como o desenvolvimento de aulas-passeio, disponibilizando para isso dois ônibus exclusivos para atender a demanda das escolas. O objetivo é que os jovens possam se apropriar dos espaços públicos e estabelecer uma relação de pertencimento com a comunidade e com a cidade onde vivem.

Veja mais no documento Percursos da Educação Integral

campo-grande

O conceito de aula de Campo Grande

Campo Grande (MT)2005 / 2008Proposta Curricular

O conceito de aula foi substituído por conceito de “tempo de estudo” em que se organizam os diferentes “ambientes de aprendizagem”, nos quais são trabalhados aspectos do currículo da base comum e da diversificada. O projeto enfatiza que a principal atividade dos alunos é estudar e não frequentar as aulas e que por estudar entendem-se também as atividades monitoradas pelos próprios alunos, as saídas para pesquisas, o movimento e a interação entre as crianças nos diferentes ambientes da escola.

Veja mais no documento Percursos da Educação Integral

mesquita

Levantando as preferências dos alunos

Mesquita (RJ)2009 / 2012Proposta Curricular

As escolas tiveram autonomia para propor uma pesquisa junto a professores, alunos, pais, funcionários, parceiros, para definir as novas atividades (do núcleo diversificado) que deveriam ser oferecidas às crianças e aos adolescentes. Uma das escolas optou por desenvolver a consulta aos alunos, tendo como mobilizador o grêmio estudantil. Foi realizado um questionário para levantar as preferências dos alunos. Os resultados foram apresentados e debatidos com os professores da escola e, depois, com a equipe gestora; essas discussões ajudaram o grêmio a organizar uma votação para finalizar o processo.

Veja mais no documento Percursos da Educação Integral

barbara

Como valorizar outras formas de aprendizagem

Santa Bárbara d’Oeste (SP)Proposta Curricular

A secretaria oferece 9 horas de educação integral diariamente às crianças, com projetos de trabalho nas áreas do conhecimento e oficinas pedagógicas. As atividades foram organizadas de forma a mesclar as pertencentes ao núcleo comum com as do núcleo diversificado, na perspectiva de um currículo único. Desta forma, toda a comunidade escolar (pais, alunos, professores, funcionários etc.) passou a valorizar as diferentes formas de aprendizagem e a reconhecer que tanto as atividades do núcleo comum como as do núcleo diversificado são fundamentais para o desenvolvimento das crianças e dos adolescentes.

Veja mais no documento Percursos da Educação Integral